Jardins de Palavras em canteiros de versos a cerca de eiras de prosa. Em 2008, um mês, um livro, desde julho
Sábado, 28 de Março de 2009
Soltos 7 - Levadeza

Leveza

Leve....ar

Levada pipa

ar....lava.

A chuva lava o ar?



publicado por Sérvio Pontes Ribeiro às 13:56
link do post | comentar | favorito

Soltos 6 - Cri.... recri.....copi.... AR!

Cria ......................ção

Recria...................ção

Copia....................ção

Recrea..................ção

 

Vamu brincar?

Brincar?

Copia

Colore

Inventa

Cria.....................ção.... saco!

 

 

B r i n q u e!

 

 

 



publicado por Sérvio Pontes Ribeiro às 13:55
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 27 de Março de 2009
Soltos 5 - Lá

O que quero por aqui, que não acho aqui fora?

Papel submundo. Subjulgo da alma.

Papel que aceita, finge que é certo.

Papel safado, sem vergonha!

 

O que quero por aqui, que tenho aqui dentro?

O que quero por para fora, e que fora, não há?

O que largarei pelos dedos, escorridos pensares?

Mentiras, inventadas, palavras?


Me engana mão!

O que quer escrever, que não é o que quero expulsar, expulgar, expor, mostrar?

O que quer que não é o que busco aí fora,

e não entendo aqui dentro?

 

O que quero achar aqui, que não acho, em nenhum lugar?

Onde está o caminho que levava lá?

Lá, eu sei, existe, e tudo, tudo isto,

Está lá.



publicado por Sérvio Pontes Ribeiro às 00:39
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 26 de Março de 2009
Soltos 4 - Sacola cheia

Velas, de umbanda,

linguiça, queijo, requeijão.

Mamão, banana, alho, muito.

paprica, da picante... batata baroa, corjete,

onde foi tudo que comprei?

 

O que encheu tanto aquelas sacolas, tão cheias?

Tão encantadoras, com cara de celebração do dia.

Belo e preenchido o dia, por tudo que me preencheria...

além da certeza que pela manhã, escrevo melhor.

O mercado central é como uma ruela de San Gimignano.

Ou, Aix en Provance... ou São Bartolomeu.

 

Não é ali, o lugar, as ruas tortas, emperradas, mofadas,

caídas, descascadas, mas a sinceridade do que carregam.

o que carregam por que alí calhou... e é lá, onde calhou de estar,

que estão as melhores coisas. Largadas em cantos não queridos, não cobiçados,

felicidade de expressar sua contribuição para a vida, sua e dos outros.

 

É tão fácil entender a guerra, dentro e fora de si.

É tão difícil matá-la na alma, é tão difícil ignorá-la no outro...

e pior, tudo que é esquecido, querido e iluminado pelo amor de quem o fez,

será descoberto, será, enfim, cobiçado. Aceite, e então, melhor terminar como começou...

Velas, de umbanda.

 

 



publicado por Sérvio Pontes Ribeiro às 22:31
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 20 de Março de 2009
Soltos 3 - Certeza

Nenhuma.

Alguma?

Tenho.

Com certeza.

 

Tenho certeza.

Certeza de que...

É...  Isto. Lá vem de novo.

Ela. Elas. Eu. Tu... vós, nós, sóis, finge de morto! Ou de égua.

 

O que dizer?

Como falar tudo...

sem dizer nada?

Certeza? Não posso dizer!

 

Enrolão. Se tornou, sempre foi...

Não tenho certeza, quando, se, porque, quem? Eu?

mas se começou...

a certeza? O enrolão...

 

Sei que há maneiras e formas de ser o que somos.

Dizê-lo se preciso, mostrá-lo, preciso.

Sei que não quero o que quero, sei o que não quero no que quero.

Sei, com certeza, que não fiz nada por mal. E... quanto bem recebi? Menos que fiz?

 

Não tenho certeza.



publicado por Sérvio Pontes Ribeiro às 11:56
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 9 de Março de 2009
Soltos 2 - Outra manhã, até de tarde

Poemas ao acordar....

quase poemas, por mal acordar...

Acordar, para afinal, enfim, porém...

Bom dia, queria ao menos.

 

Por que disto tudo.... gripe, não.

Gripe sim, mas não é ela.

Ela sobra, e o que sinto, é falta!

E falta tanto ainda...

 

Mas, há um dia, hoje, e tanto que fazer.

Fazer, mudar, ou não, esquecer, e viver,

para frente!, com tantos sonhos bons.

Às vezes, uma dengue ou lombriga cairiam bem.

 

Dariam o motivo banal para tanta frustração, e seriam curadas, e um mundo belo iria continuar, com tudo que há para fazer, bem fazer, e de forma feliz. Seria bom que fosse curável enfim, de maneira fácil, quase xamâmica, os males da alma, que nem são de espírito, nem de corpo, nem com reza, nem com pílula, quem foi mesmo que disse? Os demônio, aí dentro, e só -

 

ENFRENTE-OS!!

 

Então, de tarde, almoço almoçado,

manhã amansada, pimenta nos dedos,

conserva de malaguetinha, sol.

Cochilo, calor, crianças, trabalho... do que falava mesmo?



publicado por Sérvio Pontes Ribeiro às 11:18
link do post | comentar | favorito

O Poeta e o Biólogo, e o jardineiro
últimas poesias

49 completos

Poeminha para a Gabi ler ...

Ode à barata latino-ameri...

Despoema

Laura 1.5

HECATOMBE

Feiurinhas de Ana Beatriz

Em tempos de....

Medos trocados

O Maneta

Dias brancos

Diferentes coisas

Caixa de passarinhos

O que foi?

Fragmento de um poema esc...

Poema resposta: a uma lei...

Diálogo com o destruidor ...

A senda, a folga e a vida

Verdade

Mundinho Cão

O amor, a explicação defi...

De boca

Ela, ele

DETOX

O surgimento do xingament...

Livros e retalhos

Julho 2016

Junho 2016

Janeiro 2016

Agosto 2015

Maio 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Outubro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

pesquisar
 
links
subscrever feeds