Jardins de Palavras em canteiros de versos a cerca de eiras de prosa. Em 2008, um mês, um livro, desde julho
Sexta-feira, 6 de Julho de 2007
Monólogos com você, diálogos comigo. Agora, poema não!

Olá? Alguém aí? Este blog, parece vazio, solitário. Parece comigo.

Bem, com um tipo de eu, que nem sempre, importo em ser.
Aqui, bem vazio, quero monologar com você, e com quem vier ler isto,
Afinal, bem vindo também!
 
Trago nas marcas do que sou, o inevitável confessional, detestável pelos puristas,
principalmente os mais babacas. E continuo confessando. Confesso, não estou nem um pouco interessado no que pensam, pensas, com nada.
 
Só que resolvi fazer que veja o óbvio, talvez de forma egoísta, para que eu também saia daqui, e largue disto de vez. Disto o que? Que importa, quero mesmo largar disto.
 
Assim, postarei mais um poema, com endereço e rumo: você, seu amor, seu coração. Depois, me darei a liberdade de apagar as pegadas nesta areia quente, e no lamaçal do brejo que andei. Apagarei o que eu achar que deva apagar, se já não tiver apagado. Se leres meu leitor, leitora, e nada entender, é por que o fiz. Apaguei! Se eu não voltar o mesmo, é por que apaguei tudo que eu não agüentei. E vou dar conta de outras coisas... outros eus.
 
Se tudo fizer sentido, é então o contrário do que disse antes, mas, certo que não para sempre. Enfim, depois do próximo, que sai.... agora, postarei poemas soltos, leves e belos, farei seu café da manhã feliz, se abres seu computador tão cedo, ou te farei dormir com um sorrisinho bem besta no canto da boca, se fechares seu dia com minhas toscas linhas. Até parece que alguém lê isto. Que besta.
 
Boa noite, boa leitura. Se quiser, posso sugerir algumas boas!
(livro na íntegra? Desiste!)


publicado por Sérvio Pontes Ribeiro às 01:58
link do post | favorito

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O Poeta e o Biólogo, e o jardineiro
últimas poesias

Mulheres nas Ciências Bio...

49 completos

Poeminha para a Gabi ler ...

Ode à barata latino-ameri...

Despoema

Laura 1.5

HECATOMBE

Feiurinhas de Ana Beatriz

Em tempos de....

Medos trocados

O Maneta

Dias brancos

Diferentes coisas

Caixa de passarinhos

O que foi?

Fragmento de um poema esc...

Poema resposta: a uma lei...

Diálogo com o destruidor ...

A senda, a folga e a vida

Verdade

Mundinho Cão

O amor, a explicação defi...

De boca

Ela, ele

DETOX

Livros e retalhos

Março 2020

Julho 2016

Junho 2016

Janeiro 2016

Agosto 2015

Maio 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Outubro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

pesquisar
 
links
subscrever feeds